3.239.51.78EXISTE!

www.brasilbook.com.br

MemóriasBiografiasGaleriasImagensTemas




Quinzinho de Barros: O Capitão que gostava de gente
Autor: Edgard Steffen, médico pediatra
Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul
Sábado, 14 de Novembro de 2020
Última atualização: 16/12/2020 01:56:01



Gente simples, fazendo coisas pequenas, em lugares pouco importantes, consegue mudanças extraordinárias (Provérbio africano).

Quando cheguei por aqui, os sorocabanos mais antigos referiam-se à praça Frei Baraúna como Jardim dos Bichos.


Jardim Público - Praça Frei Baraúna (1916)
Acervo/Fonte: Museu Histórico Sorocabano
Jardim dos Bichos. Foto colorida digitalmente

O apelido pegou porque, de 1916 até os anos 30, aquele largo sediara precário zoológico.

Em 1966, entre a ponte da 15 de Novembro e a praça Lions, funcionou o Jardim da Margem — área de lazer que abrigava algumas espécies de aves e dois macacos.


Jardim da Margem (1967)
Acervo/Fonte: Antônio Carlos Sartorelli / Lembranças Sorocabanas
Atual Marginal Dom Aguirre

Esse projeto de zoológico durou cerca de um ano.

Em 1968, a Chácara Quinzinho de Barros, por desapropriação amigável, passou ao domínio da Prefeitura.

O casarão colonial (1780) de taipa de pilão viria a abrigar o Museu Sorocabano enquanto o lago com faixa de mata atlântica ciliar, piscina (a 1ª de Sorocaba) e a área do entorno foram destinadas a implantação de um jardim zoológico. Este foi inaugurado aos 20 de outubro daquele ano.


Doação e desapropriação da áerea do atual Quinzinho de Barros
Data: 28 de Novembro de 1966
Acervo/Fonte: Eric Mantuan / Jornal Cruzeiro do Sul
Notícia da época

Passados 50 anos, o Quinzinho tornou-se o 2º zoológico do Brasil em número de espécies. É referência em lazer, pesquisa, preservação e educação ambiental para a América Latina.


Atual zoológico Quinzinho de Barros (1968)
Acervo/Fonte: Alex Rondello

Classificado com nota A pelo Ibama, é também reconhecido e apoiado por entidades nacionais e internacionais de grande peso científico. Por votação popular, tornou-se cartão-postal símbolo de Sorocaba.

Quinzinho de Barros empresta seu nome ao zoológico, escola, rua e edifício. Quem foi ele? Quinzinho era apelido do fazendeiro político (PRP) Capitão Joaquim Eugênio Monteiro de Barros.

Joaquim Eugênio Monteiro de Barros
Quinzinho de Barros

Sorocabano Histórico, Prefeito de Sorocaba, Maçom


Casou-se (18/1/1896) com Hortência, filha única do Coronel José Ferreira Prestes. Com ela iniciou a Família Prestes de Barros.


Hortência Prestes de Barros (1907)
Acervo/Fonte: Grupo Além Ponte

Dez filhos: Luciano (Lulico), Milburges (Buginha), José (Zezinho), Joaquim (Nenê), Hortencinha, Gregório, Emerenciano, Elizanias (Zanico), Aristheu e Hilário*.


Família Prestes de Barros (1931)
Acervo/Fonte: Museu Histórico Sorocabano
Emerenciano, seu avô Quinzinho e a família

Religioso, antes de casar-se estudou em Seminário Católico. Festeiro, rodeado de amigos, promovia bailes e confraternizações na sede da fazenda. Líder, era maçom Grau 18 da Loja Perseverança III.

Ver mais
Maçonaria em Sorocaba
72 registros

Atento aos problemas da população, fez do casarão hospital para acolhimento aos doentes da Gripe Espanhola (1918). Administrador, por duas vezes foi intendente de Sorocaba**.

Iniciou o calçamento da cidade com paralelepípedos. Culto, expressava-se bem; talvez fluente em francês. Fazia questão que os filhos estudassem e os auxiliava nos deveres escolares.


Inauguração do calçamento em Sorocaba (1921)
Acervo/Fonte: Museu Histórico Sorocabano.
À esquerda está Jurema, na frente; atrás: Cida Tavares; do outro lado: está Maria do Carmo à frente, seguida por Hortência

Buginha casou-se com Vicente Bella e mudou-se para São Paulo. Zezinho e Hortencinha cursaram magistério. Gregorio e Aristheu, contabilidade.

Emerenciano era dentista. Zanico, farmacêutico. Lulico e Nenê preferiram continuar trabalhando com o pai na leiteria, olaria e exportação de laranjas.

Galeria de imagens
Prefeitos de Sorocaba
99 imagens


Este 11 de janeiro marca o 84º aniversário de sua morte. Faleceu na residência de seu filho Gregório (São Paulo), para onde se deslocara para se tratar com os médicos da Faculdade de Medicina.

Escorregou e bateu o flanco contra o braço da poltrona onde estivera sentado. O baço hipertrofiado pela maleita rompeu-se.


Joaquim Eugênio Monteiro de Barros (1903)
Acervo/Fonte: Museu Histórico Sorocabano
O "Quinzinho" de Barros

Em rápidas pinceladas tento mostrar personagem que fez a diferença em seu tempo. O Capitão — patente da Guarda Nacional — gostava da vida. Mas também gostava de gente. Deve ser lembrado.

Mais por sua vida, que pelo empréstimo de seu nome a rua, edifício ou zoológico.

Galeria de imagens
Quinzinho de Barros
78 imagens


(*) Faleceu com poucas semanas de vida.(**) De 1913 a 1914 e de 1921 a 1922.Fontes:Oliveira, S. C. – Os espanhóis – Editora TCM, 2002Wikipedia – Acervos do Cruzeiro do Sul e Biblioteca Infantil de Sorocaba

Temas relacionados
Joaquim Eugênio Monteiro de Barros
Quinzinho de Barros
1873 - 1935
Maçonaria em Sorocaba
Galerias de imagens
Quinzinho de Barros
78 imagens
“Sorocabanos” históricos
245 imagens
Prefeitos de Sorocaba
99 imagens
Praça Frei Baraúna
88 imagens
Vila Hortência
321 imagens
Jardim Prestes de Barros
23 imagens

Sorocaba/SP em 2020
São Paulo/SP em 2020
Retrospectiva 2020
imagens
Sorocabanos Históricos
70
1092
80
83
BiografiasBegistrosCidadesTemas

Prefeitos do Sorocaba
11
133
9
30
BiografiasBegistrosCidadesTemas

Maçons brasileiros
73
1380
110
81
BiografiasBegistrosCidadesTemas



BRASILBOOK - http://www.brasilbook.com.br
Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Compilado por Adriano Cesar Koboyama
Colaboradores:
Simone Garcia
João Libero
Amora G. Mendes
Matheus Carmine

testem.asp