cidade:Zé Arrepiado, o noivo que desenterrou o cadáver da noiva

www.brasilbook.com.br


  Biografias  

  Cidades  

  História  

  Imagens  

  Temas  



" \\windows-pd-0001.fs.locaweb.com.br\WNFS-0002\brasilbook3\Dados\stats\materias\71.txt
Zé Arrepiado, o noivo que desenterrou o cadáver da noiva
Sábado, 1 de Agosto de 1942
Última atualização: 14/11/2020 23:27:40

Aconteceu no Cemitério da Saudade um fato inusitado que é contado e recordado até hoje pelos mais antigos, é o caso do Zé Arrepiado. Existem variações desta história porém segundo fontes mais seguras é o seguinte:

Zé Arrepiado era um moço jovem, bem apessoado porém gostava muito de beber e era apaixonado por sua vizinha Luiza de Barros, ele comentava com os amigos que pretendia namora-la de qualquer jeito. Até que num infeliz dia Luiza de Barros morre aos 19 anos de tifo preto, uma doença contagiosa da época.

Na manhã seguinte a seu enterro seu caixão se encontrava desenterrado com a tampa queimada e o corpo exposto e ao lado da lastimável cena estava o paletó do Zé Arrepiado com seu documento de identidade; Descobriram que cometeram necrofilia com o corpo da jovem, Zé foi preso no mesmo dia pois não havia outro suspeito já que encontraram seu paleto ao lado do tumulo, pelo crime inusitado foi solto em menos de uma semana.

Porém há uma questão, se fosse mesmo Zé Arrepiado o autor do crime, ele não teria pego a doença contagiosa da moça? Muitos acreditam que ele apenas dormiu bêbado no cemitério e fugiu assustado pelo tumulto ocasionado pelo verdadeiro autor do crime, deixando para trás se paletó. Dizem que ele apostava de ir tocar o sino do cemitério a meia noite em troca de alguns trocados para beber.

Em agosto de 1942 aconteceu no cemitério um fato inusitado que é contado e recordado até hoje pelos mais antigos, é o caso do Zé Arrepiado.

Existem variações desta história porém segundo fontes mais seguras é o seguinte:

Zé Arrepiado era um moço jovem, bem apessoado porém gostava muito de beber e era apaixonado por sua vizinha Luiza de Barros, ele comentava com os amigos que pretendia namora-la de qualquer jeito. Até que num infeliz dia Luiza de Barros morre aos 19 anos de tifo preto, uma doença contagiosa da época.

Na manhã seguinte a seu enterro seu caixão se encontrava desenterrado com a tampa queimada e o corpo exposto e ao lado da lastimável cena estava o paletó do Zé Arrepiado com seu documento de identidade.

Descobriram que cometeram necrofilia com o corpo da jovem, Zé foi preso no mesmo dia pois não havia outro suspeito já que encontraram seu paleto ao lado do tumulo, pelo crime inusitado foi solto em menos de uma semana.

Porém há uma questão, se fosse mesmo Zé Arrepiado o autor do crime, ele não teria pego a doença contagiosa da moça?

Muitos acreditam que ele apenas dormiu bêbado no cemitério e fugiu assustado pelo tumulto ocasionado pelo verdadeiro autor do crime, deixando para trás se paletó. Dizem que ele apostava de ir tocar o sino do cemitério a meia noite em troca de alguns trocados para beber.

Foto: tumulo de Luiza de Barros.Endereço: quadra 13, tumulo 178
Fonte oral: Dona Luiza, Dona Tereza, Zé da Capela e Carlos Carvalho Cavalheiro

Fonte: Cemitério da Saudade

facebook.com/sorocaba24hrs /posts/557669541665463

Temas relacionados
Crimes passionais
Cemitérios
Eventos que marcaram Sorocaba
Noivas
Galerias de imagens
Cemitérios sorocabanos
20 imagens

BRASILBOOK - http://www.brasilbook.com.br
Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Compilado por Adriano Cesar Koboyama
Colaboradores:
Luiz Augusto Scarpa, Amora G. Mendes e Matheus Carmine