cidade:Torre do Relógio foi presente da colônia japonesa

www.brasilbook.com.br


  Biografias  

  Cidades  

  História  

  Imagens  

  Temas  



" \\windows-pd-0001.fs.locaweb.com.br\WNFS-0002\brasilbook3\Dados\stats\materias\73.txt
Torre do Relógio foi presente da colônia japonesa
Quarta-feira, 3 de Mar?o de 1954
Última atualização: 14/11/2020 23:06:27

Inaugurada em 3 de março de 1954, uma quarta-feira, a Torre do Relógio foi o primeiro presente da colônia japonesa para a cidade de Sorocaba, pela passagem dos 300 anos de fundação.Segundo Celio Hermelindo do Monte, neste dia ocorreu um desfile cívico promovido pela colônia, que com raríssimas exceções era formada por agricultores e poucos comerciantes.Neste desfile ele mesmo participou em cima de uma carretinha puxada por um trator Ford, decorada com produtos agrícolas.Este trator e carreta eram de propriedade do falecido Alfredo Meiken, que era proprietário da Ótica Oculandia da Rua da Penha e também agricultor na Vossoroca.Algumas fotos fazem parte do acervo do pai dele, Sr. Luiz Guichi Meiken, joalheiro na Rua Dr. Braguinha com a Joalheria Monte Serrat, cedidas á Antônio Carlos Sartorelli, responsável por resgatar a história de Sorocaba.O primeiro imigrante japonês em Sorocaba desembarcou no Brasil 46 anos antes, no dia 18 de junho de 1908, á bordo do navio Kasatu Maru. Chama-se Nabek Shiroma, proveniente da região de Okinawa.Após 52 dias no mar, junto com os primeiros japoneses no Brasil. Eram 165 famílias, num total de 781 pessoas, que foram trabalhar nos cafezais do oeste paulista.Ele chegou em Sorocaba 10 anos depois, em 1918, um dos anos mais "tumultuados" na história recente de Sorocaba. Greves, a Gripe Espanhola e a Primeira Guerra guiaram muitos dos acontecimentos em Sorocaba.Pouco tempo depois deixou a cidade, retornando em 1947 com a família. Trabalhou na Fazenda União em Votorantim e nas Oficinas da Estrada de Ferro Sorocabana. Anos mais tarde montou uma lavanderia.Faleceu em 1956 e em sua homenagem uma praça do jardim Emília recebeu o seu nome.Em 1933, havia 11 famílias em Sorocaba, que se mantinham da agricultura. Em 1944 já eram 33 famílias dedicando-se a agricultura (plantio de batatas, tomates e hortaliças) e ao comércio (lavanderias, bares, pastelarias e vendas de produtos agrícolas).Durante a 2ª Guerra Mundial os japoneses residentes no litoral rumaram para o interior porque as áreas litorâneas eram consideradas de segurança nacional. Algumas dessas famílias vieram para Sorocaba engrossar a comunidade que já estava aqui formada.Em 1949 já existia em Sorocaba mais de 146 famílias, sendo que cerca de 100 dessas famílias estavam na zona rural e o restante na zona urbana.¹Neste mesmo ano foi fundada a Associação Japonesa Céu Azul de Sorocaba (Aozora Sorocaba Nihonjin-kai).²Referências bibliograficas¹ Thiago Nagata. Fonte: Bandeirantes News – Jornal Informativo do Rotary – junho 2003² Secretaria da Cultura Plano Municipal de Cultura de Sorocaba1ª imagem: Construção da Torre do RelógioAcervo/Fonte: Luiz Gustavo Meiken / Lembranças Sorocabanas2ª imagem: Inauguração da Torre do RelógioAcervo/fonte: Luiz Guichi Meiken / Lembranças SorocabanasData: 19543ª imagem: Inauguração da Torre do relógio na Praça Nicolau ScarpaAcervo/Foto: Silvio Rosa Santos Martins / Lembranças SorocabanasData: 19544ª imagem: Torre do RelógioAcervo: Fernando Carriel5ª imagem: Rua Álvaro Soares. Praça Nicolau ScarpaFoto: Maria Regina Adriano. Torre do RelógioData: 19916ª imagem: Praça Nicolau Scarpa. Rua Álvaro SoaresFoto/Acervo: Urbes. Torre do RelógioGaleria completa (16 imagens)http://brasilbook.com.br/es.asp?e=68Outras galeriashttp://brasilbook.com.br/i.asp

Temas relacionados
Japoneses no Brasil
Galerias de imagens
Torre do Relógio
18 imagens
Rua Alvaro Soares
99 imagens
Estátuas, marcos e monumentos
37 imagens

BRASILBOOK - http://www.brasilbook.com.br
Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Compilado por Adriano Cesar Koboyama
Colaboradores:
Luiz Augusto Scarpa, Amora G. Mendes e Matheus Carmine