Como foi o inicio da Estrada de Ferro Sorocabana?
Autor: Sandro Aranha
https://sorocabaatravesdah.wixsite.com
Fonte: Sorocaba Através da História
Sábado, 28 de Novembro de 2020
Última atualização: 19/01/2021 02:19:00



Como foi o inicio da Estrada de Ferro Sorocabana? Hoje vamos voltar no tempo e conhecer um pouco da história e saber se atualmente existe algum vestígio de sua criação...

Com a Guerra de Secessão nos Estados Unidos, os ingleses sofreram com a escassez de algodão em suas fábricas, com isso surgiu uma demanda de matéria-prima, atendida pelo Brasil, tendo Sorocaba parte dessa exportação.

Luiz Matheus Maylasky era um dos produtores, e com as grandes remessas enviadas para o porto, viu a necessidade de um meio de transporte mais eficaz. Soube que as conversas já estavam adiantadas para a chegada da estrada de ferro em Itu e tentou fazer uma parceria para estender a linha até Sorocaba, mas que foi negada pelo custo e sem a certeza do retorno do investimento.


Luiz Matheus Maylasky (1880)
Acervo/Fonte: Gabinete de leitura Sorocabano

Dessa negativa surgiu a idéia de ligar Sorocaba diretamente a São Paulo, mas para isso seria necessário à autorização do Império. Com o fantasma que ainda pairava da Guerra do Paraguai encerrada em 1870, D. Pedro II fez uma condição para a criação dessa linha: que ela se estendesse até a Fábrica de Ferro de Ipanema. Logisticamente seria mais viavel para trazer armas e materiais forjados na fábrica através de uma ferrovia.


Fábrica de Ferro de São João de Ipanema (1876)
Acervo/Fonte: Hemeroteca

Assim em 24 de maio de 1871 foi assinado por D. Pedro II, o decreto Imperial, aprovando a criação dos estatutos da Companhia Sorocabana para a construção da linha de São Paulo a Fábrica Ipanema, passando por São Roque e Sorocaba.


Leopoldina, D. Pedro II, Teresa Cristina e Isabel (1863)
Acervo/Fonte: Wikicommons

Inicialmente a Estação seria construída onde atualmente se localiza a Praça da Bandeira, lembrando que nessa época a Praça Edmund Vale e Praça da Bandeira faziam parte da mesma área, dividida apenas pelo Córrego do Supiriri. A festividade da inauguração da construção linha aconteceu no 13 de junho de 1872, próximo ao Supiriri, onde anos depois se instalou a Fábrica Nossa Senhora da Ponte.


Vista da atual Praça da Bandeira (1886)
Acervo/Fonte: Julio Wieczerski Durski
Colorida digitalmente

Posteriormente, numa analise mais aprofundada, constatou-se que o local escolhido não era o ideal para a Estação, pois com a construção do prédio seriam cortadas varias ruas surgindo a necessidade de porteiras com um guarda em cada uma, além do custo das desapropriações dos diversos donos de terras aonde a linha iria passar.

O local escolhido é próximo ao fim da Rua Souza Pereira, um pasto com algumas árvores e moitas, onde corria o Supiriri e também aconteciam as touradas. Uma área ampla com espaço para a possibilidade de diversas construções e com poucas desapropriações.

O traçado da linha foi divididos em 7, onde 6 seções seriam trabalhadas simultaneamente e apenas a 1ª seção de Ipanema até Sorocaba, seria deixada por último.

Diferente do que é atualmente, a linha saia da Estação, indo em sentido a Santa Rosália e de lá através de uma ponte perto de onde é o Hotel IBIS (Chamonix), seguiria em direção ao Alto da Boa Vista, próximo a linha atual.

A ponte sobre o Rio Sorocaba foi finalizada em 30 de Agosto de 1874, tendo 28 metros de vão a vão. Foi desativada com a duplicação da linha em 1929. Alguns pilares foram descobertos em fevereiro de 1999, durante o aterramento de um terreno do lado direito do Rio Sorocaba, onde se situa a Vila Rica. Pelas reportagens do Jornal Cruzeiro do Sul de setembro e outubro do mesmo ano, fica incerto o destino dos pilares: se foram destruídos ou se estão ainda enterrados.

A estação foi construída por Theotônio José de Araújo e Francisco das Chagas do Amaral Fontoura, sendo única estação em 2 pavimentos: no pavimento térreo abrigava o telégrafo, um restaurante e a bilheteria e no andar superior ficavam os escritórios. Foi finalizada no fim de 1874, restando apenas à finalização das ruas e calçadas para o inicio de 1875. Ela entrou para história do município por ser a primeira construção de tijolos em Sorocaba.

Em 1929 a estação sofreu reformas e ampliações, para ostentar uma arquitetura neoclássica, diferente da arquitetura simples do prédio original, sendo inaugurada em 25 de janeiro de 1930.

As seis primeiras locomotivas da Companhia Sorocabana se chamavam: São Paulo (nº1), São Roque (nº2), Sorocaba (nº3), Ipanema (nº 4), São João (nº5) e Pinheirinhos (nº6). Fora as locomotivas para o trafego havia também cinco carros de 1ª classe, sete carros de 2ª classe, um carro de bagagem e correio e setenta vagões de diversos tipos de materiais.

Em São Paulo, a Estação da Sorocabana foi construída na esquina da Rua Mauá com a Rua General Couto de Magalhães, nas terras do Barão de Mauá. Devido à diferença de tamanhos entre os trilhos sorocabanos e os utilizados pela São Paulo Railway, o trem não conseguia chegar a Estação da Luz, por isso nossa estação foi construída o mais próximo possível. Posteriormente esse problema foi resolvido com a extensão dos trilhos da Sorocabana até a estação paulista.

Depois de alguns testes nos trilhos e na ponte, a locomotiva Ipanema, chegava a Sorocaba no dia 18 de junho de 1875 às 17h45min, sendo recebida por uma multidão eufórica, que via a primeira locomotiva em solo sorocabano.

O trecho Sorocaba-São Paulo foi entregue em 10 de julho de 1875 com uma grande festa de inauguração: a estação estava lindamente decorada, com dezenas de camarotes, uma arcada romana colocada no encontro das ruas Álvaro Soares e Souza Pereira, que limitava a entrada na praça da estação, que também estava enfeitada com bandeiras e flâmulas e 8 coretos de diversos estilos estavam distribuídos próximos ao prédio e 8 bandas de música recepcionando o trem.

O trem Inaugural chegou a estação as 14h30min, trazendo membros importantes do governo de São Paulo e da Companhia Sorocabana, o imperador D. Pedro II foi convidado, mas não pode vir, mandando um representante para o importante acontecimento. Sua vinda foi concretizada em 20 de agosto de 1875.

À noite as bandas tocaram pelas ruas da cidade, mas as festividades duraram 4 dias e terminaram com um majestoso baile, tendo destaque neste período uma apresentação especial no teatro São Rafael.

A seção até Ipanema começou a ser estudada em dezembro de 1874 num período chuvoso que atrasou a entrega do novo e melhorado traçado. Houve muito trabalho no aterramento do terreno pantanoso do Supiriri sendo necessário abrir muitas valas e movimentar essa terra para os locais indicados. Também sofreram com a falta de pessoal e de verba para os inícios dos trabalhos.

Segundo as informações levantadas por Antônio Francisco Gaspar, de num relatório da empresa de 10/03/1877 e de uma reportagem do Jornal Ipanema de 06/01/1877, o trecho São Paulo-Ipanema foi inaugurado em 31 de dezembro de 1876, com a presença do presidente da província, Sebastião José Pereira que depois de sua chegada, conheceu as instalações da fábrica de ferro em companhia do diretor Dr. Mursa, pernoitou em Ipanema, retornando a São Paulo no dia seguinte.

Já o escritor Adolfo Augusto Pinto no livro “História da Viação Pública de São Paulo”, contradiz a informação de Gaspar, relatando que do dia 31 de dezembro de 1876, a Sorocabana só estendeu seus trilhos até a Estação de Villeta, renomeada posteriormente de George Oeterer. Somente em 29 de outubro de 1879, finalmente a estrada de ferro chegaria a Ipanema. Essa data também foi confirmada por Reginaldo Lloyd em seu livro “Impressões do Brasil no Século Vinte” (Trecho retirado do livro Sorocaba- A Cidade Industrial de Geraldo Bonadio).

Quanto a Maylasky, seguiu como presidente da companhia até 1880, até que por decisão dos acionistas do Rio de Janeiro, foi criada uma comissão com poderes para examinar a companhia e resolver qualquer questão e dúvida para realizar a mudança da sede para São Paulo. Tentaram acusar Maylasky de estelionato, talvez uma desculpa para demiti-lo, nesse caso tudo foi esclarecido posteriormente e ele inocentado, mas mesmo assim os acionistas queriam a troca do diretor e da mudança da sede.

Infelizmente todas as tentativas de reversão foram em vão restando apenas a Maylasky a saída do cargo da empresa que criou fato que foi seguido por seus diretores que pediram demissão.

Nesse mesmo ano Maylasky e sua família arrumaram suas malas, subiram pela ultima vez em dos vagões da Companhia Sorocabana na estação e pela janela se despediram dos amigos e colegas adquiridos e no Alto da Boa Vista com a vista da cidade, se despediu.

A partir daí Luiz Matheus Maylasky e a Companhia Sorocabana estavam se separando, cada um seguindo um novo rumo na história...

Como homenagem, o nome da estação Pinheirinhos foi alterada para Maylasky, pois dentre todas as estações dessa linha, ela é a que fica em um local mais elevado, dando o destaque merecido que Luiz Matheus Maylasky merece.

Agradecimentos especiais para Adolfo Frioli, José Rubens Incao e Antônio Carlos Sartorelli pela ajuda com materiais de pesquisa, mapas e informações fundametais pela pesquisa.

Fontes:- Histórico do Inicio, Fundação, Construção e Inauguração da Estrada de Ferro Sorocabana – Antônio Francisco Gaspar;- Bodas de Brilhantes - Antônio Francisco Gaspar;- Caminhos de Ferro de S. Paulo e a Fábrica Ipanema – José Ewbank da Camara;- Sorocaba, a Cidade Industrial – Geraldo Bonadio;- Almanaque de 1914;- Os Peixes do Rio Sorocaba – Welber Senteio Smith;- Jornal Cruzeiro do Sul – 24/05/1961; 10/07/1963; 10/07/1965; 10/07/1966; 03/02/1970; 13/02/1970; 10/07/1970; 04/12/1970; 07/09/1999; 13/10/1999;

Temas relacionados
E.U.A.
Algodão
Estrada de Ferro Sorocabana (E.F.S.)
Ferrovias brasileiras
Luiz Matheus Maylasky
1838 - 1906
Dom Pedro II
Pedro de Alcântara
1825 - 1891
Guerra do Paraguai
Fazenda Ipanema
Francisco das chagas do Amaral Fontoura
1801 - 1886
Galerias de imagens
Estrada de Ferro Sorocabana (E.F.S.)
85 imagens
Estação Ferroviária de Sorocaba
65 imagens
Fazenda Ipanema
34 imagens

Sorocaba/SP em 2020
São Paulo/SP em 2020
São Roque/SP em 2020
Itu/SP em 2020
Retrospectiva 2020
imagens
Sorocabanos Históricos
73
1092
80
83
BiografiasRegistrosCidadesTemas

Mais ricos do Brasil
24
364
36
54
BiografiasRegistrosCidadesTemas

Família Real
11
471
49
41
BiografiasRegistrosCidadesTemas


testeselect * from materias where id = 126
1 de Janeiro de 1980
Chacará dos Padres
18 de Dezembro de 2020
Onde Foram Parar os TRENS do Brasil? Por Que o Brasil não tem Trens?
1 de Janeiro de 2021
Esclarecimentos sobre a Casa dos Padres
1 de Janeiro de 1900
A ESTRADA DOS PROTESTANTES E OS PRIMEIROS PRESBITERIANOS EM VOTORANTIM
1 de Janeiro de 1900
Praça 9 de Julho, Largo de Pito Aceso e outras histórias
18 de Fevereiro de 1981
Sobre o rompimento do "tancão" da vila Barão/Nova Esperança
10 de Fevereiro de 2021
O mistério da Casa dos Padres, que assombrou gerações em Sorocaba e Votorantim
12 de Agosto de 2017
Documentário mostra "descoberta" de um marco oculto de Sorocaba


Novas imagensExibir por anoGalerias de imagensArtigos MatériasTemas
Hoje na HistóriaProcurar no siteCidadesReceber atualizaçõesBiografias por categoria
Página no FacebookAutores Biografias<


BRASILBOOK - http://www.brasilbook.com.br
Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Compilado por Adriano Cesar Koboyama
Colaboradores:
Simone Garcia
João Libero
Amora G. Mendes, Matheus Carmine