O Arco do Triunfo de Sorocaba
Fonte: São Paulo Antiga
Quarta-feira, 1 de Junho de 1927
Última atualização: 30/11/2020 05:19:41

Construído em madeira e gesso, o curioso pórtico de Sorocaba foi a maneira que a cidade paulista encontrou para homenagear a passagem pela cidade, em 1927, do heróico aviador brasileiro e jauense João Ribeiro de Barros.


O Arco do Jahú (1927)
Acervo/Fonte: Pedro Francisco Escames
Foto colorida digitalmente

Naquele mesmo ano o célebre aviador cruzou o Oceano Atlântico, sem escalas, pilotando o hidroavião italiano Savoia-Marchetti S-55.

Após a realização da histórica travessia, houve uma grande comoção por todo o país e, especialmente, pelo Estado de São Paulo, surgindo comemorações e condecorações quase em todas as cidades paulistas.


“Arco do Triunfo” (1927)
Acervo/Fonte: Lembranças Sorocabanas
Homenagem ao aviador João Ribeiro de Barros

O feito levou ao governo estadual a lançar em maio de 1927 um apelo.

Este pedido desencadeou uma verdadeira competição entre as cidades paulistas, cada uma querendo homenagear e presentear João Ribeiro de Barros e os demais aviadores do hidroavião Jaú, da melhor maneira possível.


Apelo do Governo Estadual
Data: Maio de 1927
Acervo/Fonte: São Paulo Antiga

Em Santos, por exemplo, a companhia de bondes doou a arrecadação de um dia inteiro de tarifas aos aviadores.Em Santo Amaro, então município independente da capital, realizou-se cerimônia na represa.

Em São Paulo inúmeras homenagens, condecorações e até apresentação no Theatro Municipal.


O Arco do Jahú (1927)
Acervo/Fonte: Hélio Monzoni / Gilberto Tenor
Esquina da Rua Cel. Benedito Pires c/ a atual Boulevard Braguinha

Já a cidade de Sorocaba optou por erguer um arco do triunfo para homenagear os aviadores e a chegada do Jahú à cidade. O único arco que se tem notícia para este fim.

De acordo com a minha pesquisa o arco foi instalado próximo da igreja matriz da cidade, no centro de Sorocaba.

A estrutura, além do arco em si, contava com uma espécie de réplica, em madeira, do hidroavião na parte superior.

A construção do pórtico e até mesmo a sua existência é quase desconhecida pelos sorocabanos. Mesmo registro jornalísticos ou fotográficos desta curiosa passagem da histórica da cidade são raríssimos.

Na internet é possível encontrar um historiador da cidade afirmando que o arco foi erguido no início de 1930, mas reafirmo que ele foi erguido entre junho e julho de 1927.

Sobre a duração do arco a inexistência de dados históricos torna impossível determinar. É bem possível que ele tenho durado algumas semanas, ou no máximo, dois ou três meses.


“Arco do Triunfo” (1927)
Acervo/Fonte: Lembranças Sorocabanas
Rua Cel. Benedito Pires. Foto colorida digitalmente

Com a ação do tempo (chuva, sol, vento etc) a estrutura em gesso e madeira não aguentaria mais tempo que isso, tal qual ocorreu com o Arco do Triunfo de São Paulo.
Galerias de imagens
Rua Cel Benedito Pires
143 imagens
Aviação em Sorocaba
49 imagens
Eventos que marcaram Sorocaba
271 imagens
Catedral / Igreja Matriz
165 imagens

Sorocaba/SP em 1927
Retrospectiva 1927
imagens

testeselect * from materias where id = 131
1 de Janeiro de 1980
Chacará dos Padres
18 de Dezembro de 2020
Onde Foram Parar os TRENS do Brasil? Por Que o Brasil não tem Trens?
1 de Janeiro de 2021
Esclarecimentos sobre a Casa dos Padres
1 de Janeiro de 1900
A ESTRADA DOS PROTESTANTES E OS PRIMEIROS PRESBITERIANOS EM VOTORANTIM
1 de Janeiro de 1900
Praça 9 de Julho, Largo de Pito Aceso e outras histórias
18 de Fevereiro de 1981
Sobre o rompimento do "tancão" da vila Barão/Nova Esperança
10 de Fevereiro de 2021
O mistério da Casa dos Padres, que assombrou gerações em Sorocaba e Votorantim
12 de Agosto de 2017
Documentário mostra "descoberta" de um marco oculto de Sorocaba


Novas imagensExibir por anoGalerias de imagensArtigos MatériasTemas
Hoje na HistóriaProcurar no siteCidadesReceber atualizaçõesBiografias por categoria
Página no FacebookAutores Biografias<


BRASILBOOK - http://www.brasilbook.com.br
Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Compilado por Adriano Cesar Koboyama
Colaboradores:
Simone Garcia
João Libero
Amora G. Mendes, Matheus Carmine