' Inventário e Testamento de Maria Egipciaca Domingues - 24/10/1703 de ( registros) Wildcard SSL Certificates
font-size:75;' color=#ffffff
1699
1700
1701
1702
1703
1704
1705
1706
1707
Registros (13)
EDITAR
Inventário e Testamento de Maria Egipciaca Domingues
24 de outubro de 1703
fonters
SL. 8º, 127, 2-7, Maria Egipcíaca foi c.c. o Capitão-mor de Itú, Brás Rodrigues de Arzão. Com geração no V. 7.o pag. 337SL. 7º, 337 Cap. 5. Capitão-mor Braz Rodrigues de Arzam foi morador em Itú. Foi ajunto ao governador Estevão Ribeiro Bayão Parente na guerra contra os gentios do sertão da Bahia. Foi casado com Maria Egypciaca, f.ª de Pero Domingues e de Maria Mendes. Tít. Domingues. Faleceu o capitão-mor Braz Domingues de Arzam em 1695 com testamento e teve 3 f.ºs : Subsídios à Genealogia Paulistana (Regina Junqueira)Foi o Capitão mor Brás Rodrigues de Arzão inventariado em 1693 (SAESP vol. 23º, neste site). MARIA EGIPCIACA DOMINGUESInventário e Testamento Data 1703Local: Vila de São PauloInventariante: Manoel de Souza PereiraSAESP, Inv e Test , vol 23, fls 166 a 190 ABERTURA:24-10-1703 - nesta villa de São Paulo em casas de morada do juiz de órfãos o Capitão governador Manoel Bueno da Fonseca ...estando prezente Manoel de Souza a quem o juiz deu juramento.... MONTE MOR: 96$620 HERDEIROS:Manoel de Souza Pereira por cabeça de sai mulher Marianna de ArzãoGaspar de Brito por cabeça de sua mulher Maria Rodrigues de ArzãoOs herdeiros da defunta Maria Egipciaca Rodrigues (cujo testamenteiro era o padre João de Pontes)Manoel Pinto por sua mulher Ângela MachadoEstevão Pimenta por cabeça de sua mulher TESTAMENTO Em nome da Santíssima Trindade Padre filho e Espírito Santo três pessoas em um Só Deus verdadeiro Saibam quantos este publico instrumento virem como no ano do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de mil setecentos e um annos aos vinte e oito dias de setembro, eu Maria Egipciaca estando em meu perfeito juízo e entendimento que Nosso Senhor me deu doente de cama temendo-me a morte desejando por minha alma no caminho da salvação por não saber o que Nosso senhor de mim quer fazer e quando será servido levar me para si faço este meu testamento da forma seguintePrimeiramente encomendo a minha alma......Rogo e peço por serviço de Deis e por me fazeram mercê ao reverendo Padre João de Pontes e a Manoel Pinto queiram aceitar serem meus testamenteiros//Meu corpo será sepultado em capella dos terceiros de São Francisco se puder ser na mesma sepultura de minha filha mulher que foi de Jerônimo Machado... (Pedidos para o funeral e encomendação da alma) Declaro que fui casada com Braz Rodrigues de Arzão de quem tive trez filhas a saber Maria Rodrigues que a primeira vez foi casada com Antonio Gomes e da segunda vez com Gaspar de Brito, a outra Maria Egipciaca de Arzão já defunta foi casada com Jerônimo Machado e Silva e a terceira Marianna de Arzão casada com Manoel de Souza as quais foram dotadas e inteiradas de seus dotes e declaro que são meus legítimos e universais herdeiros.Declaro que Salvador Francisco de presente morador de Currais da Bahia me deve quatro mil Ries por um conhecimento que segundo minha lembrança está em poder de meu sobrinho Paulo Blanco// declaro que tenho em poder do reverendo Padre João de Pontes trinta mil reis em dinheiro ?? Declaro que possuo uma sorte de terras em a paragem chamada Mohuguassu partindo com os herdeiros dos defuntos meus cunhados a saber Manoel Rodrigues de Arzão e Cornélio Rodrigues de Arzão e nestas terras quero e é minha ultima vontade que se faça e caiba a minha terça de todos os meus bens e a deixo aos Reverendos Padres da Companhia deste Collegio de São Paulo para que as logrem e possuam como suas para o que procurarão os titulos por onde forão dadas no livro do tombo onde as cartas de datas costumam registrar e declaro que estas ditas terras me pertencem por via de Braz Rodrigues de Arzão que Deus haja // .......Porquanto esta é minha ultima vontade do modo que tenho dito ......e por não saber escrever pedi e roguei ao Tabelião Manoel Cavaco que este por mim fizesse e assinasse. Data de abertura: 7-2-1702 Joseph Alves Torres assina como procurador do Padre João de Pontes.


FONTE:0
LUCIA!
LUCIA!


Procurar



Hoje na História


Brasilbook.com.br
Desde 27/08/2017
28375 registros (15,54% da meta)
2243 personagens
1070 temas
640 cidades

Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Contato: (15) 99706.2000 Sorocaba/SP