Wildcard SSL Certificates
Ano:  
InícioHistóriaBiografiasCidadesMatérias
'



“Aviso 658”
Segunda-feira, 27 de Setembro de 1937
Fonte: Armas Nacionais

Flatbed Truck - Chevrolet Gigante 937Emprego no Brasi

Com o fim da Primeira Guerra Mundial (1914-1918) a consolidação do uso de veículos para fins militares nos principais exércitos do mundo se solidificou como visão de futuro.

E neste contexto o Exército Brasileiro não fugiu à regra, pois essa novidade passou a exercer um certo fascínio junto à jovem oficialidade, o mesmo ocorrendo com as Forças Públicas (atuais polícias militares).

Os primeiros veículos incorporados ao Exército foram pequenos caminhões modelo Ford T, no início dos anos 20, não só devido ao fato da Ford ter sido a primeira montadora de veículos a se instalar no Brasil em 1919, mas também pelo fato de serem produzidos em grande quantidade.

Esses veículos eram montados no país através do sistema chamado CKD (completely knocked down); todos os componentes praticamente vinham da matriz no exterior, tratando-se principalmente de veículos civis.

A marca Ford não foi a única, ela sempre esteve presente ao lado de outras, tanto americanas quanto europeias, entre estas estava a General Motors Company, que no Brasil passou a ser popularmente conhecida como Chevrolet que logo conquistaria a liderança no mercado nacional de caminhões e utilitários.

Em 1923, foi criado no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, o Serviço Central de Transportes do Exército Brasileiro (SCT), sendo equipado com diversos modelos de caminhões e veículos para uso militar.

A estrutura montada era impressionante para os padrões da época, pois, os veículos, eram adquiridos dos fabricantes apresentando somente o chassi, o motor e a parte dianteira, sendo então posteriormente adaptados as necessidades de uso militar e montados na própria unidade que possuía um parque para montagem e manutenção.

A primeira grande utilização de veículos automotores para fins militares ocorreu durante a Revolução de 1924, principalmente na frente do Paraná, onde o General Cândido Mariano da Silva Rondon, comandante daquele setor, empregou diversos veículos civis e militares em variadas funções, desde ambulâncias para transporte de feridos a pequenos caminhões para transporte de tropas.

Porém ainda o suporte logístico de víveres, combustível e outros itens fosse todo feito por enormes carroças puxadas por seis cavalos, denominadas de carroção tipo colonial, muito empregado naquela região.

Na década de 1930, o Exército Brasileiro empregou uma grande variedade de veículos militares e militarizados sobre rodas e sobre lagartas, de diversas marcas, como Ford, Chevrolet, Dodge, International, de origem norte-americana; Tornycroft e Commer, de origem inglesa; Somua de origem francesa, e Henschell e Krupp, de origem alemã.

Apesar de dispor de diversos fornecedores o Exército Brasileiro tinha uma tendência natural a operar com modelos de caminhões leves e médios produzidos ou montados (completely knocked down) no país.

O fato mais importante para essa consolidação viria a ocorrer com a necessidade de se tentar padronizar, no Exército Brasileiro, as marcas dos caminhões militares a serem incorporados.

Assim de acordo com a normativa prevista no “Aviso 658” de 27 de setembro d.1937, ficariam estipuladas em termos de aquisição de veiculos para os transportes normais de carga ou pessoal modelos produzidos pelas empresas Ford, Chevrolet, Dodge, Commer, sendo proibida a compra veículos e outros fabricantes.

Neste processo cada vez mais a General Motors começou a ganhar espaço junto as fileiras do Exército Brasileiro, dividindo em número igual esta preferência com os modelos da Ford do Brasil.

Em grande escala os primeiros modelos da nova geração de caminhões leves a serem adquiridos foram os Chevrolet 112 e 137 denominados popularmente como Tigre e Comercial, que dispunham de um novo motor a gasolina 6 cilindros com 78 hp, modelo basicamente idêntico a versão civil, sendo que muitos deles chegaram a unidades de operação portando as cores de veículos normais, apresentando como identificação militar apenas as marcações de unidades.

Posteriormente nova unidades destes modelos começaram a ser entregues já na versão militarizada que não dispunha das portas convencionais e passava a ter suprimida a rodagem dupla traseira.

Muitos destes carros foram alocados as Divisões de Cavalaria e Regimentos de Cavalaria, principalmente concentrados nas regiões sul e sudeste.

Os Chevrolet Tigre Comercial tinham por principal missão o transporte de tropas e cargas, porém sua capacidade de transporte era reduzida podendo levar apenas seis soldados de infantaria totalmente equipados.

Outro veículo da General Motors que passou a ser empregado em grande escala foi a pick up Chevrolet 1941 que eram dispostas na versão de cabine aberta para transporte de pessoal ou cabine fechada para transporte de cargas, modelo este também que não atendia as necessidades de capacidade exigida pelo Exército Brasileiro naquele período.

A solução seria parcialmente atendida com a aquisição do novo modelo Chevrolet 157- Gigante 937 com capacidade de transporte de 1 ½ tonelada que representava uma sensível melhora referentes aos modelos citados anteriormente, esta nova família de caminhões leves com tração 4X2 fora lançada recentemente nos Estados Unidos como GMC Flatbed Truck.

Seu maior desempenho era proporcionado por um novo motor Chevrolet V8 a gasolina, e tinha como principal diferencial alterações preparadas para operação no Brasil como o um sistema de arrefecimento tropicalizado ao clima do pais, evitando problemas de superaquecimento que eram tão comuns nos demais veículos de transporte em serviço naquele período.

Assim que recebidos os Chevrolet Gigante passaram a ser empregados em uma série de tarefas relacionadas a transporte de carga e pessoal, porém seu melhor perfil operacional o possibilitou atender outras finalidades como plataforma para armas antiaéreas como canhões duplos Oerlikon de 20 mm e metralhadoras Madsen 7mm.

Sua maior capacidade de carga além de poder transportar até 16 soldados totalmente equipados o possibilitou o transporte de canhões de montanha Schneider de 75mm e a tração de obuseiros de 155 mm com rodas de madeira, dando assim mais mobilidade as unidades de artilharia.

Sua plataforma permitiu usar o Chevrolet Gigante como ônibus adaptando a carroceria semi aberta e também a Fabrica de Curitiba procedeu a conversão de mais de duas dezenas de caminhões para transporte de pontão para montagem de pontes flutuantes.

A partir de fins de 1941 os Chevrolet Gigante passara a ser distribuídos ao 1º Regimento de Artilharia Antiaérea (1/1º RAAAé), ao 2 º Regimento de Artilharia Antiaérea (1/1º RAAAé) e ao 3º Regimento de Artilharia Antiaérea (1/1º RAAAé), sendo incumbidos do reboque dos canhões alemães Flak” 88 mm Modelo 18 C/56", equipamentos de comando e direção de tiro (preditores) WIKOG 9SH e sistemas de localização de som ELASCOPORTHOGNOM, que haviam sido recebidos recentemente e pertencentes ao “O Grande Contrato Krupp”.

Esta nova missão lhe foi atribuída pois os caminhões alemães Krupp 3 ½ Ton L3H163 presentes neste acordo não foram entregues ao Exercito Brasileiro pelo governo alemão face ao acirramento das tensões provocado pelo avançar da Segunda Guerra Mundial.

Este cenário perduraria até a celebração do contrato de Lend-LeaseBill com os Estados Unidos, em 1941, quando o Brasil passou a receber veículos militares modernos em grande quantidade e que se tornaram a espinha dorsal do Exército, no segmento de transporte de carga e pessoal, as centenas de caminhões militares recebidos com tração 6X6 como os GM CCKW e os Studebaker, liberariam os Chevrolet Gigante para atuação em missões de apoio e segunda linha, tarefa na qual se mantiveram até o inicio da década de 1950 quando passaram a ser desativados. Algumas unidades também estiveram se serviço como veiculos utilitaros junto a Força Aérea Brasileira, Marinha e Corpo e Fuzileiros Navais.

Bibliografia :

- Primórdios da Motorização no Exército Brasileiro 1919-1940 - Expedito Carlos Stephani Bastos- General Motors do Brasil – www.generalmotors.com.br- Motorização no Exército Brasileiro 1906 a 1941 - Expedito Carlos Stephani Bastos


Avenida São Paulo
Acervo/fonte: IBGE
Data: 1942
Sorocaba/SP em 1942
Caminhão Chevrolet Gigante 1942

GALERIAS
Relacionadas

Postos de combustível
Atualizado: 03/03/2021 18:40:49
70 imagens    Comentários    Matérias  |  
Automóveis (1930-1950)
Atualizado: 06/03/2021 18:07:07
54 imagens    Comentários  |  
Avenida São Paulo
Atualizado: 17/01/2021 18:07:41
197 imagens    Comentários    Matérias  |  
Paralelepípedos em Sorocaba
Atualizado: 03/03/2021 21:11:56
508 imagens    Comentários  |  
Automóveis antigos
Atualizado: 17/01/2021 18:07:41
444 imagens    Comentários  |  
Fotos coloridas digitalmente
Atualizado: 11/03/2021 16:10:13
1534 imagens    Comentários  |  



Chevrolet Gigante
Acervo/fonte: Carros y Clasicos
Data: 1945
* Fora do Brasil/ em 1945

GALERIAS
Relacionadas

Imprensa, marketing e propagandas
Atualizado: 30/03/2021 03:52:28
314 imagens  |  
Automóveis antigos
Atualizado: 17/01/2021 18:07:41
460 imagens    Comentários  |  

em Retrospectiva



Biografias/temas
Imagens
História
Cidades



Hoje na História
1494 Há 528 anos
Ratificado o Tratado de Tordesilhas em Setúbal
1562 Há 460 anos
Tibiriçá chegou na Vila de São Paulo de Piratininga uma semana antes do ataque, pois um do..
1581 Há 441 anos
Carta de Francisco de Tello
1615 Há 407 anos
Testamento de Luiza da Gama na vila de São Paulo, no termo campos de Boy, na fazenda de Jo..
1625 Há 397 anos
Capitulação da fortaleza de Nazaré do cabo de Santo Agostinho
1639 Há 383 anos
Registro de carta de terras dadas a Belchior de Borba, morador na vila de SP, casado com filhos
1640 Há 382 anos
Concedida d sesmaria na vila de Santos aos 12-07-1640, selada pelo Capitão Mor Antonio de ..
1640 Há 382 anos
Em sessão da Câmara os oficiais juntos com as pessoas da governança da terra com o mais po..
1675 Há 347 anos
“três procissões, uma do corpo de Deus, outra a dois de julho a honra da visitação de Noss..
1680 Há 342 anos
D. Rodrigo chega na vila de São Paulo
1691 Há 331 anos
Protesto que faz o capitão Salvador Moreira contra o capitão Braz Moreira Cabral / vila de..
1710 Há 312 anos
Carta de Sesmaria concedida a Diogo de Lara, Luiz Castanho, Cristovão Antunes, Pedro Leme ..
1710 Há 312 anos
Carta de Sesmaria concedida a Maximiano de Góes e Siqueira entre Itú e Sorocaba, na parage..
1720 Há 302 anos
O conde de Assumar, governador de Minas Gerais, capitula com os sublevados de Vila Rica, e..
1723 Há 299 anos
Proibido mulheres: prejudiciais aos serviços de Deus
1728 Há 294 anos
Assinatura do “Termo da Santa Cruz” e a “Santa Cruz da Composição”
1769 Há 253 anos
Nascimento de João de Deus Menna Barreto, primeiro barão e visconde de São Gabriel, em Rio..
1817 Há 205 anos
Combate de Apóstoles (nas Missões de além-Uruguai)
1823 Há 199 anos
Evacuação da cidade da Bahia pelas tropas portuguesas e entrada triunfal do Exército brasi..
1824 Há 198 anos
Proclamação de Manuel de Carvalho Pais de Andrade, chefe da revolução pernambucana
1824 Há 198 anos
43 pessoas procedentes de Hamburgo chega ram à Feitoria Velha do rio dos Sinos
1842 Há 180 anos
Correspondência entre Diogo Feijó e o Barão de Monte Alegre
1842 Há 180 anos
Revolução Liberal: Relatório do Duque de Caxias ao Imperador Dom Pedro II
1842 Há 180 anos
Coronel João da Mota Teixeira repele os insurgentes de Minas Gerais
1843 Há 179 anos
Parte de Nápoles a imperatriz do Brasil, dona Teresa Cristina
1856 Há 166 anos
Bombeiros
1863 Há 159 anos
Morre no Rio de Janeiro o almirante reformado Frederico Mariath
1877 Há 145 anos
Taty
1877 Há 145 anos
Maylasky compra algodão enfardado, menos 1$500 réis por arroba do mercado de Santos
1888 Há 134 anos
Início das aulas na "Escola Popular"
1900 Há 122 anos
Fez o voo inaugural do LZ-1, às margens do lago Constança
1922 Há 100 anos
Presidente Epitácio Pessoa decreta a prisão do ex-presidente Hermes da Fonseca
1923 Há 99 anos
Moacyr Toledo Pisa publica "Roupa Suja"
1923 Há 99 anos
Correio Paulistano
1931 Há 91 anos
O Departamento Oficial de Publicidade é criado pelo Governo Provisório de Getúlio Vargas
1935 Há 87 anos
Formada a primeira diretoria do Centro Espírita "Fé em Deus"
1936 Há 86 anos
Alcino de Oliveira Rosa assume a prefeitura
1943 Há 79 anos
Doutor José Fernal assume a prefeitura
1944 Há 78 anos
O primeiro contingente da FEB parte do Rio de Janeiro
1976 Há 46 anos
Choque de posseiros mata fazendeiro John Davis e dois filhos em Paragominas (PA)
1986 Há 36 anos
A Lei de Incentivo à Cultura é sancionada pelo presidente José Sarney
2000 Há 22 anos
Bebê de 12 dias sobrevive sem alimentação ao lado dos cadáveres dos pais
2011 Há 11 anos
Falecimento de Itamar Franco
2011 Há 11 anos
I Encontro UFSCar - Movimentos Sindicais e Sociais da Região de Sorocaba


BRASILBOOK - http://www.brasilbook.com.br
Agradecemos as duvidas, criticas e sugestoes
Compilado por Adriano Cesar Koboyama
Colaboradores:
Simone Garcia
João Libero
Amora G. Mendes, Matheus Carmine